Ervas e Temperos Naturais

Hoje a quantidade de temperos industrializados existentes no mercado é preocupante, além de possuir grande quantidade de gordura, possuem alto teor de sódio e aditivos químicos que fazem mal à saúde. Se escolhidos e utilizados da forma errada com frequência, podem contribuir com o sobrepeso e até mesmo com doenças crônicas como a hipertensão e doenças do coração.
 

Por isso, evite o consumo de:

Caldos industrializados de carne, frango, peixe e legumes, pois apresentam grandes quantidades de sódio, os derivados do leite como queijos amarelos, creme de leite e requeijão e os molhos e condimentos prontos para salada.   A melhor alternativa para temperar saladas, carnes ou qualquer outro tipo de alimento é sempre buscar temperos naturais. Ervas, legumes e raízes, que além de serem mais saudáveis, podem dar sabor, aroma e aparência melhor ao prato.   Os temperos naturais fornecem compostos bioativos que protegem nosso organismo e trazem benefícios à saúde. São também ricos em antioxidantes, ajudando a prevenir o envelhecimento precoce, estimulando a digestão, além de acrescentar mais nutrientes, como ferro, vitaminas e fibras.
 

Prefira o consumo de:

Suco de limão, laranja com alecrim, alho, ervas frescas e desidratadas, cebola, cebolinha, manjericão, salsa, sálvia, folhas de louro, hortelã, alecrim, gengibre, açafrão, tomilho e sucos de frutas. Ao invés de óleo, prefira o azeite de oliva extra virgem. Para quem prefere sabores mais marcantes, a pimenta também pode ser uma alternativa.

Confira algumas ervas e especiarias e seus benefícios à saúde:

 
  • Alho: Melhora a circulação sanguínea. Auxilia no sistema imunológico e possui atividade antibacteriana, antiviral e antifúngica.
  • Alecrim: Contém um aroma que revigora a memória e melhora o humor. É estimulante, acelera a circulação sanguínea, antidepressivo e antisséptico. Esta erva é utilizada para dar sabor às carnes, refogados de legumes, omeletes, frutos do mar e molhos. Também é utilizada para aromatizar azeites.
  • Canela:  Anti-inflamatória, antioxidante, antimicrobiana. Ajuda a regular os níveis de glicose no sangue. É utilizada em preparações doces e também para temperar ensopados e carne de cordeiro.
  • Cebolinha verde:  É estimulante do apetite e auxilia na digestão. Combate gripes e doenças respiratórias. Combinam perfeitamente com os ovos, queijos e todos os tipos de salada.
  • Cebola:  É antioxidante, antimicrobiana e estimula o coração e vasos sanguíneos.
  • Coentro: Na sua composição contém três flavonoides antioxidantes e óleos essenciais que ajudam na digestão e possuem propriedades bactericida e fungicida. A semente de coentro é rica em vitamina C, vitaminas do complexo B e cálcio. Combinam em Peixes, frutos do mar, carnes, aves, sopas, pães.
  • Cominho:  Auxilia no tratamento de gases. Tem um sabor muito forte e particular. Por isto, deve ser utilizado com moderação para que seu sabor não predomine demais sobre os outros ingredientes da receita. Carnes, aves, peixes, legumes, sopas, queijos e pães.
  • Erva doce: É digestiva e indicada em casos de gases e cólicas , atuando também no sistema respiratório ao suaviza tosses e catarros.
  • Gengibre:  Trata enjoos, combate infecções e doenças cardiovasculares e pode auxiliar no emagrecimento.
  • Grão de mostarda:  É rico em minerais, em especial o selênio, que é um poderoso antioxidante, mas esse benefício só pode ser aproveitado por meio dos grãos da mostarda, já que os antioxidantes se perdem nas outras partes da planta.
  • Hortelã:  Auxilia na produção das enzimas digestivas e nas infecções do trato respiratório e é anestésico.
  • Limão: Rico em vitamina C, o limão ajuda a fortalecer as defesas do corpo, prevenindo doenças. Sendo um alimento vegetal, não contém colesterol, gordura ou sódio. Além disso ele é bom para a circulação (redução da pressão arterial), ajuda a digestão, reduz os níveis de colesterol, antibacteriano e antiviral.
  • Louro:  É um estimulante dos sucos digestivos  e expectorante. Quando adicionada ao feijão, ajuda a reduzir a formação de gases. Utilizado para aromatizar ensopados, molhos e temperos.
  • Manjericão:  É digestivo, antisséptico, anti-inflamatório, ajuda combater infecções do trato respiratório. Combinam muito bem com o alho, o tomate, a berinjela, o pimentão e as abobrinhas. É o ingrediente principal do molho ao “pesto” feito à base de manjericão, alho e azeite de oliva.
  • Noz moscada:  Essa erva é incluída nos remédios para náusea, má digestão e cólica. É digestiva, antimicrobiana e é considerado alimento afrodisíaco.
  • Orégano Contem antioxidantes, cálcio e possui propriedades fungicidas. Estimulante da digestão e do aparelho respiratório.  Utilizado para temperar molhos, pizzas e carnes vermelhas.
  • Páprica:   Por ser da mesma família da pimenta, é anti-inflamatória, digestiva e estimula a circulação sanguínea.
  • Pimenta:   Possui ação antioxidante, melhora a circulação sanguínea e tem efeito analgésico. É fonte natural de vitaminas A e C. É o complemento ideal para todos os pratos salgados. Para temperar, o ideal é moer na hora de agregar na preparação.
  • Tomilho:  É digestivo, fortalece o sistema imunológico e tem ação bactericida, fungicida e antiviral. Utilizado como tempero em carnes ensopadas, aves, cordeiro, legumes e batatas.
Publicado em 03/12/21