SINAL FECHADO: Como está o trânsito intestinal das suas crianças e da família?

Se as crianças estão sofrendo de constipação, reveja certos hábitos de vida em busca do “sinal verde” no trânsito intestinal.

A constipação define-se como a diminuição na frequência das evacuações, associada à dificuldade ao evacuar, com fezes ressecadas e endurecidas. De forma geral, é determinada quando há evacuações em frequência inferior a 3 vezes por semana. As causas mais comuns da obstipação estão mesmo relacionadas ao estilo de vida: dieta pobre em fibras, baixa ingestão de líquidos e sedentarismo são os principais fatores para o mau funcionamento do trânsito intestinal.

 É um problema comum na infância, afetando 7,5% da população em idade escolar.

O intestino é o órgão responsável tanto pela eliminação dos resíduos alimentares quanto pela absorção dos nutrientes advindos das refeições. É responsável também por garantir o funcionamento adequado do sistema imunológico e endócrino, portanto, cuide bem dele e fuja dos laxantes, pois estes agridem a parede intestinal e acabam causando dependência, forçando a ingestão de doses cada vez maiores. Já está mais do que comprovado que os laxativos e purgativos são maléficos à saúde e à mucosa do trato intestinal, devendo assim ser evitados. Na maioria das vezes, o intestino preso é fruto de uma dieta inadequada, pobre em fibras, com baixa ingestão de líquidos, somado ao sedentarismo. Então, reveja os hábitos da família e associe a uma reeducação do hábito intestinal (como obedecer a vontade de evacuar).

 Dicas:

  • Aumente o consumo de água: a água hidrata as fezes, tornando-as mais pastosas e fáceis de eliminar. Estimule o consumo de água, chás de ervas, sucos naturais ou água de coco;
  • Substitua os alimentos refinados como arroz, pães, biscoitos e macarrão pelas versões integrais e estimule o consumo diário de frutas, verduras, legumes e cereais integrais. Mas, lembre-se! Consumir muita fibra sem beber água piora ainda mais o quadro de constipação, já que as fibras absorvem água e podem provocar um ressecamento ainda maior;
  • Estimule o consumo de frutas com casca e bagaço;
  • Estabeleça horários regulares para ir ao banheiro, sempre em momentos tranquilos;
  • Movimente o corpo e intestino: garanta a movimentação constante do tubo gastrointestinal. Para isso, exercícios físicos e alimentar-se em intervalos regulares de 3 em 3 horas são fundamentais;
  • Consuma probióticos: são bactérias que produzem efeitos benéficos ao organismo e equilibram a flora intestinal. Encontrado em leites fermentados ou qualquer iogurte, no entanto, é preciso manter uma ingestão diária dessas substâncias para haja efeitos desejáveis;
  • Atenção às quantidades: é importante comer suficientemente para formar o volume fecal. Reduzir demais as quantidades das refeições e eliminar carboidratos impede a formação adequada da massa fecal.
Publicado em 24/05/22